Destino Dinamarca: 6 passagens escondidas em Copenhague para você descobrir a cidade como um local

Há, ao menos, duas “versões” de Copenhague: a primeira é repleta de alegres e coloridas fachadas, o kanelsnegle – os famosos bolinhos de canela, perfeitos para o brunch do final de semana – perfeito, e a sensação de hygge. A segunda versão de Copenhague é para aqueles turistas que buscam rotas alternativas – caminhos que ficam um tanto quanto invisíveis aos olhos da maioria dos visitantes. Este mundo paralelo, repleto de adegas secretas, pátios por trás de belas fachadas e, claro, passagens escondidas, pode ser descoberto aos olhos mais atentos – e temos nossos espaços favoritos para dividir com vocês.

Copenhague é repleta de espaços diferenciados – não apenas a cidade, mas a maioria dos espaços urbanos mais antigos, contam com passagens secretas e rotas que, nos tempos antigos, cortavam os caminhos mais conhecidos das cidades. Pensando rapidamente, nos lembramos do tradicional Portão dos Elefantes, onde hoje há o Museu da Cerveja, em Carlsberg; o arco de Slutterigade; e a passagem August Bournonvilles ao lado do Royal Danish Theatre. Há, ainda, um belo caminho percorrendo o Kierkegaard Assistens que pode transformar qualquer manhã de segunda-feira… Porém, nossa seleção vai pouco além:

 

Sankt Annæ Passage

 

Entre Bredgade e a loja da Kongensgade, há uma passagem que leva a um conjunto de pátios conectados, os quais abrigam várias empresas dinamarquesas. A passagem, ainda, conta com diversos charmes extras: há uma linda fonte, a primeira cabine telefônica de Copenhague, e incríveis colunas gregas. Há muito verde, o que atrai pássaros no verão, e cantinhos mais reservados, onde é possível descansar após um dia de passeios. Ainda, é um ótimo caminho alternativo se você estiver atrasado para o almoço.

 

Pistolstræde

 

Este é um dos poucos “becos” remanescentes de Copenhague. Seu nome remete à sua forma – uma curva acentuada. Aparentemente, essa área fazia parte do pior subúrbio da cidade, ainda no final do século XIX. Enquanto, hoje, é um dos lugares mais bem frequentados pelos queridinhos do design e da moda, com opções de cafés para o chá da tarde.

 

 

Klostergangen

 

Dentro do Portão, chamado Klostergården, você encontrará uma passagem tímida, bastante escondiada, que liga Stroget à Strædet. É um espaço do centro da cidade histórico que impressiona – ainda que seja, por vezes, negligenciado.

 

Kristen Bernikows Gade

 

Bernikowgården é uma galeria coberta em Strøget, criada em 1988. Hoje, abriga o Coffee Collective, localizado em uma antiga bodega que serve drinks feitos com café e kombucha – além das delicias encontradas nos cafés tradicionais. O interior é um equilíbrio perfeito entre minimalismo e o tradicional. Definitivamente vale a pena uma visita.

 

Jorcks Passage

 

Jorcks Passage é um dos locais mais conhecidos de nossa lista. No entanto, vale a pena reservar um tempinho para explorá-lo. O espaço conecta as ruas Strøget e Skindergade. A partir de 1896, a passagem passou por uma grande reforma estrutural: antes abrigando um espaço para ligações telefônicas, trocaram-se as fiações, tornando o espaço muito mais bonito de se ver. Hoje, é uma linda passagem com diferentes lojas, plantas e um teto de vidro que deixa o espaço claro e agradável.

 

 

Pilestræde 45

 

Mais um pátio do que uma passagem, o Pilestræde 45 não poderia estar fora da nossa lista. Lá, você encontrará a Heartmade – uma boutique de moda dinamarquesa e a marca Julie Fagerholt.

 

 

Créditos: Freya McOmish

Facebook0
Pinterest0

Tags