Floating Art 2018 ”naufraga” réplica da Villa Savoye

A Villa Savoye é uma das construções mais consagradas da arquitetura francesa. Criada 1929 por Le Corbusier, o design da casa que fica na periferia parisiense é conhecido em todo o mundo.

Tendo em mente a importância da Villa, o festival Floating Art 2018 arquitetou um projeto inusitado. Como uma resposta ao “naufrágio do domínio público”, após o escândalo de manipulação de eleições e roubo de dados pessoais de mídias sociais como o Facebook, parte de uma réplica em tamanho real da residência foi submersa entre fiordes dinamarqueses. A ideia do projeto seria, então, protestar contra a falência de um futuro utópico livre e o surgimento de uma realidade em que a liberdade e o controle dos indivíduos na sociedade convivem em equilíbrio extremamente frágil.

A ideia foi encabeçada pelo dinamarquês Asmund Havsteen-Mikkelsen e concretizada na cidade de Vejle, em parceria entre o festival e o Vejle Art Museum. Para que fosse bem sucedida, a réplica em escala 1:1 foi feita com isopor e madeira, que será retirado do local após o término do evento.

 

Além do projeto de Havsteen-Mikkelsen, o Floating Art 2018 exibe projetos de Kristian Blomstrøm Johansson – em parceria com a Cruz Vermelha – e de Tina Helen. O evento tem como objetivo incentivar que jovens artistas e arquitetos pensem sobre temas contemporâneos.

Fontes

ArchDaily

Facebook0
Pinterest0

Tags